COP 28 Águas de Portugal

COP 28: Águas de Portugal apresentou projetos estratégicos de sustentabilidade

COP 28 Águas de Portugal

Primeiramente o Grupo AdP – Águas de Portugal participou no programa de iniciativas de Portugal na cimeira mundial do clima – COP 28, com a apresentação de dois projetos estratégicos de sustentabilidade para enfrentar as alterações climáticas.

A apresentação decorreu no Pavilhão de Portugal, no dia dedicado ao tema “Food, Agriculture and Water”, e focou-se na gestão da escassez de água, com destaque para a utilização de ApR – Água para Reutilização como fonte alternativa, e no programa ZERO, através do qual o Grupo pretende atingir a neutralidade energética até 2030.

Portanto considerando o incremento da circularidade na utilização da água fundamental para a adaptação às alterações climáticas, designadamente pelo aumento da frequência e intensidade de períodos de secas, a Águas de Portugal integra o reforço da produção de ApR como vetor crítico que pode contribuir para responder à escassez de água. O Plano de Ação para a Reutilização do Grupo visa contribuir para uma taxa nacional de utilização de ApR próxima dos 23% até 2040.

Em suma no que respeita à mitigação, através do Programa ZERO de Neutralidade Energética, a AdP está a reduzir os consumos energéticos e a aumentar a produção, por meios próprios, de energia 100% renovável.

COP 28 Águas de Portugal

Contudo o programa, num investimento de 363 milhões de euros, contribui ainda para reduzir acentuadamente a emissão de GEE, evitando a emissão de 185 mil toneladas de CO2 por ano.

Num outro painel, sobre “O papel do Nexus água-energia para o desenvolvimento sustentável”, foi destacada a importância de garantir acesso à água e saneamento 24 horas por dia, sete dias por semana, nas regiões em que o Grupo AdP opera.

Fonte: ADP.

Conteúdos Relacionados

Pisão Alentejo Aldeia Barragem

Moradores de Pisão, no Alentejo, inquiridos sobre nova aldeia antes de avançar barragem

Os moradores e proprietários de casas e terrenos na aldeia de Pisão, concelho de Crato (Portalegre), estão a ser chamados a participar num inquérito sobre o futuro da nova povoação, a edificar no âmbito da construção da barragem. António Farinha, da Comissão da Pró-Associação de Residentes e Proprietários do Pisão, aldeia que está previsto ser submersa com a construção do Empreendimento de Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos (EAHFM) do Crato, explicou hoje à agência Lusa que este é o segundo inquérito à população desde que o projeto arrancou.

Leia mais »