Investimento na Rede de Abastecimento

Mais investimento na rede de abastecimento pouparia água para fornecer 865 mil pessoas

Investimento na Rede de Abastecimento

Por: Vera Novais

Primeiramente todos os anos perdem-se cerca de 194 milhões de metros cúbicos (1,94 mil milhões de litros) nas condutas de abastecimento de águas urbanas. De acordo com dados da Entidade Reguladora do Serviço de Águas e Resíduos (ERSAR), citados pelo Expresso.

Um quarto da água captada para o consumo humano perde-se nas redes de abastecimento urbanas. 30% de toda a água captada é consumida sem ser faturada. 

Em suma estas perdas significam cerca de um quarto do volume de água captado para consumo humano — e não tem em conta os 35% de perdas na agricultura, que consome 70% da água captada em Portugal, nem os 30% do volume de água que entra nos sistemas de abastecimento e não chega a ser faturado.

Investimento na Rede de Abastecimento

Contudo não ter perdas ser é virtualmente impossível, mas reduzir as perdas para 15% (1,23 mil milhões de litros por ano) já permitiria abastecer 865 mil habitantes.

De acordo com os cálculos de Jaime Melo Baptista, ex-presidente da ERSAR e atual presidente do Lisbon International Center for Water.

“A solução para o problema das perdas de água reais e não faturadas passa pela combinação de uma melhoria da governança das entidades gestoras, uma melhoria da gestão patrimonial das infraestruturas e uma adequada política tarifária”, diz Melo Batista.

Portanto, melhorar o desempenho das entidades gestoras, investir na reparação e manutenção das redes de abastecimento de água e instalar contadores para diminuir a quantidade de água não faturada.

Fonte: Observador.

Conteúdos Relacionados

Pisão Alentejo Aldeia Barragem

Moradores de Pisão, no Alentejo, inquiridos sobre nova aldeia antes de avançar barragem

Os moradores e proprietários de casas e terrenos na aldeia de Pisão, concelho de Crato (Portalegre), estão a ser chamados a participar num inquérito sobre o futuro da nova povoação, a edificar no âmbito da construção da barragem. António Farinha, da Comissão da Pró-Associação de Residentes e Proprietários do Pisão, aldeia que está previsto ser submersa com a construção do Empreendimento de Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos (EAHFM) do Crato, explicou hoje à agência Lusa que este é o segundo inquérito à população desde que o projeto arrancou.

Leia mais »