Escassez de água no Egito

Escassez de água no Egito

Escassez de água no Egito

Quase toda a água doce do Egito vem do rio Nilo e sua indústria agrícola consome 85% da parte do rio do país. Até 2025, projeta-se que o Egito seja uma nação com escassez de água devido às mudanças climáticas.

Os agricultores do Egito temem o aumento das tensões sociais por causa da escassez de água – o país enfrenta o agravamento da escassez de água à medida que as mudanças climáticas trazem calor e secas mais extremos.

Mas em 2021, o país lançou um projeto Novo Delta, construindo uma estação de tratamento de água de drenagem agrícola com capacidade de 7,5 milhões de metros cúbicos de água por dia, tornando-a a maior do mundo.

Em conclusão o canal que transporta águas residuais agrícolas do Delta ocidental até a estação de tratamento de Al Hammam se estenderá por 114 quilômetros, com 22 quilômetros dessa distância sendo na forma de tubos – o maior rio artificial do mundo.

Portanto a PGESCO (em uma joint venture com a AAW) se propôs a construir a estação de tratamento de água de drenagem agrícola. Para criar o enorme projeto, a empresa estabeleceu um ambiente de dados conectado, ajudando os membros da equipe a colaborar e melhorar a reutilização de materiais. A planta concluída agora irriga 2.200 acres a oeste da área do Delta do Nilo, ajudando a expandir a agricultura e proporcionar impactos sociais e econômicos positivos em toda a região do Deserto Ocidental.

Escassez de água no Egito

Contudo a planta irrigará 2.200 acres a oeste da área do Delta do Nilo, ajudando a expandir a agricultura e proporcionando impactos sociais e econômicos positivos em toda a região do Deserto Ocidental.

Em suma a nova estação de tratamento Delta alcançou recentemente quatro recordes mundiais do Guinness, revolucionando e estabelecendo padrões de agricultura e preservação ambiental sem precedentes.

Fonte: Linkedin.

Conteúdos Relacionados

Paradigma Água Portugal

O paradigma da água em Portugal

Muito se fala da falta de água nos nossos dias. Desde as alterações climáticas, aos consumos exagerados, aos desperdícios, aos fogos rurais, ao regadio, tudo serve para se criar um problema sem solução e súbitamente aí virem os políticos iluminados, que tudo sabem e que para tudo encontram solução rápida, proibindo actividades económicas e reduzindo consumos humanos.

Leia mais »
Revista APDA 1º Trimestre

Revista APDA 1º Trimestre

A evolução da gestão nas entidades com melhores desempenhos responsáveis pelo ciclo urbano da água, nomeadamente na dimensão tecnológica, foi enorme nas últimas décadas.

Leia mais »