Presidente Resíduos Perigosos

Presidente da República veta lei que abria setor dos resíduos perigosos a mais operadores

Presidente Resíduos Perigosos

O Presidente da República vetou ontem a alteração do regime dos Centros Integrados de Recuperação, Valorização e Eliminação de Resíduos Perigosos (CIRVER). Que abria o setor à entrada de novos operadores.

Uma nota divulgada na página da Presidência da República justifica que a devolução do decreto se deve à necessidade de aprofundar as consequências do regime proposto.

“Tendo em consideração a situação jurídica das concessões existentes já renovadas pelo Governo e a necessidade de aprofundar as consequências internas e externas do regime proposto”, o Presidente da República “decidiu devolver ao Governo, sem promulgação”, o decreto que altera o regime jurídico dos CIRVER, diz a nota de Marcelo Rebelo de Sousa.

A mesma justificação consta numa carta enviada ao primeiro-ministro, disponibilizada também na página da presidência.

A proposta de lei do Governo tinha sido aprovada no Conselho de Ministros de 12 de outubro de 2023 e acabava com a exclusividade dos dois CIRVER que existem no país. Ambos na Chamusca, abrindo o setor à entrada de novos operadores licenciados, sem alterar as exigências técnicas e de segurança.

LEIA TAMBÉM: Recolha selectiva de biorresíduos avança no Parque Norte e zona da Makro

Presidente Resíduos Perigosos

Em novembro, o Governo prorrogou as licenças dos dois CIRVER até haver nova legislação.

A licença dos CIRVER tinha caducado no âmbito da decisão do Governo de alterar a legislação, abrindo o setor e acabando com a exclusividade, sendo que os dois CIRVER da Chamusca podiam também solicitar licença de exploração.

“Sendo imperioso manter a ininterruptibilidade das operações de gestão de resíduos perigosos e assegurar a regular atuação dos CIRVER até à emissão de novas licenças nos termos do novo regime jurídico, aprovado em reunião de Conselho de Ministros de 12 de outubro de 2023, as atuais licenças dos CIRVER (…) foram prorrogadas até dez dias após a conclusão do referido processo legislativo”, indicava à Lusa o Ministério do Ambiente no dia 16 de novembro passado.

Fonte: Greensavers

Conteúdos Relacionados

Alentejo Central Reciclagem

Associação de Municípios do Alentejo Central recicla mais 200 toneladas de lixo em 2023

O Sistema Separar sem Parar, de recolha seletiva porta-a-porta, reciclou em 2023, um total de 1.850 toneladas, ou seja, mais 200 toneladas de resíduos do que em 2022. Os resíduos foram recolhidos nos concelhos alentejanos de Alvito, Cuba, Portel, Viana do Alentejo e Vidigueira e, posteriormente foram entregues para tratamento na Estação de Triagem de Vila Ruiva, cuja exploração é da responsabilidade da AMCAL.

Leia mais »